segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Parceria Magneto Cultural & Favela é Isso Aí & Rede Social São José dos Campos


Um festival de curtas feitos por quem realmente vê no audiovisual uma ferramenta para a conquista da cidadania!

Em São José dos Campos vai rolar no auditório do SENAC
nosa dias:

9/12 às 19:30
10/12 às 14:30


Os filmes serão diferentes nos dois dias!

Após as exibições bate papo com o Instituto Magneto Cultural sobre Democratização dos Meios.

Venha fortalecer!

Filmes e sinopses:


  1. Duelo

Belo Horizonte, 2009, 8’48’’, documentário

Direção: Danilo Marcos Azevedo Vilaça

O documentário aborda o relacionamento entre a polícia e o rap tendo como gancho o evento de hiphop duelo de mc’s, realizado em frente a um posto policial no viaduto santa tereza. O objetivo é discutir sobre como funciona a relação rap x polícia e mostrar o limite da privacidade sem esquecer a liberdade de expressão cultural.

  1. Ice Band – Moro numa favela

Belo Horizonte, 2008, 4’, videoclipe

Direção: Thomaz Amaral

Clipe-documentário revela o cotidiano de um morador do aglomerado, os desafios de morar na periferia, problemas da região e isolamento social



  1. Meninos do morro

Belo Horizonte, 2009, 3’34’’, documentário

Direção: Terence keller

Apresentação do Projeto Meninos do Morro no Mercado Municipal da Lagoinha em festa do jornal Fala Pedreira


  1. Policia e Ladrão

Rio de Janeiro, 2008, 3’17’’, experimental

Direção: Flávio Martins

Em um universo onde o clima é tenso , todos são suspeito e as pessoas preferem primeiramente julgar: uma perseguição implacável e um desfecho surpreendente


  1. Reverter

Belo Horizonte, 2009, 3’30’’, experimental

Direção: Leandro Morais

O vídeo, é o resultado da Interferência Urbana no Aglomerado da Serra- BH, nos dia 1 e 2 de agosto de 2009, com Exposição e Graffiti. Artistas, do coletivo REVERTER, convidados e a comunidade local se uniram para pintar novos muros que estão nascendo dentro das favelas com o projeto Vila Viva.

  1. A Conexão

Belo Horizonte/ Ibirité, 2008, 4’30’’, vídeoclipe

Direção: Russo (Flavio da Silva Paiva) e Clebin (rap em Fatos)

O vídeo retrata a importância da participação das pessoas nas construções de culturais, políticas, religiosas e etc., nas periferias, ele busca o incentivo para que sejamos protagonistas de nossa historia.


  1. Clip Cansaço

Belo Horizonte, 2008, 5’, videoclipe

Direção: Coletiva

Clip da música "Cansaço", do rapper TJ. Durante o processo de criação do vídeo, o rapper percebeu que poderia buscar imagens diferentes dos clips tradicionais e que representassem os sentimentos da música escrita por ele.


  1. Dura

Belo Horizonte/ Ibirité, 2008, 5’, ficção

Direção: coletiva

Um homem se vê enquanto menino, brincando com uma realidade que passa longe da brincadeira


  1. Hum

Belo Horizonte/ Ibirité, 2008, 5’, ficção

Direção: coletiva

Rodeado por um mundo de números e informações, o homem contemporâneo se vê refém daquilo que ele mesmo criou


  1. Iraque – Terra da Esperança

Marechal Deodoro, 2008, 11’57’’, documentário

Direção: Douglas Nogueira

Um bairro cheio de esperanças e com fama de campo de batalha.


  1. Baianinho

São Paulo , 2008, 9', ficção

Direção: Márcio José Moreno

Rogério, metido em confusão, foge de Salvador para São Paulo. No meio de desventuras, sem emprego, sem sorte, mas com muita imaginação, o baianinho vai criando formas de sobreviver.


  1. Pelas Calçadas

São Paulo , 2008, 5'33'' , documentário

Direção: Nick Douglas de Morais Moreira, Lucas Maia Gonçalves, David Duarte da Silva, Wictor Miranda Lima, Jessica Cavalcante Santos.


"Pelas calçadas" aborda de maneira descontraída a diferente forma de trabalho de três personagens de rua.
  1. Sortudo!?

São Paulo , 2008, 10' , ficção

Direção: Gustavo Henrique da Silva Ribeiro

Aquela velha blusa do fundo do armário pode afetar o seu dia muito mais do que você imagina.


  1. Dubsangue

Belo Horizonte, 2008, 3'39'', experimental

Direção: Marcelo Reis e Nilo Augusto

Visões da periferia na galeria ou como o Slayer entrou na 1ª. Bienal de Graffiti de BH.



  1. Quando a parede cai

Belo Horizonte, 2009, 3'05'', documentário

Direção: Marcelo Reis, Nilo Augusto e Patrícia Vieira

Palavras de um morador que ainda sente o cheiro fresco do entulho.


  1. A Distração Ivan

Braz de Pina – RJ, 2009, 15’, ficção

Direção: Cavi Borges e Gustavo Melo

Ivan é um menino de 11 anos. Ele vive com a avó no subúrbio do Rio de Janeiro. Em meio ao seu cotidiano de brincadeiras e brigas com os amigos, ele irá amadurecer.


  1. Favela 20x30

Rio de Janeiro, 2008, 12’, documentário

Direção: Julio Pecly


Vinte planos de trinta segundos, mostrando os vários locais de uma favela e seu cotidiano.


  1. Viço da Terra

Belo Horizonte, 2009, 9’, documentário

Direção : Bruno Rocha


Documentário sobre o trabalho de quatros moradores da vila Cafezal, que se uniram em prol da construção de uma horta comunitária. A transformação de um ambiente tão ríspido em outro onde brota vida, alimento e comunhão foi marcado por um esforço que se renova diariamente na manutenção da horta. A esperança embotada se aguça. Resistência. Sobrevivência. Esperança. Valas abertas pela força de mãos que fazem florescer o viço da terra na pedreira da alma.

  1. Ações Sociais no morro do papagaio

Belo Horizonte/São Paulo, 2009, 3’03’’, rap-reportagem

Direção: Fabio Féter

O jornalista rap-repórter Fabio Féter apresenta uma síntese do cotidiano de moradores (as) do Bairro Santa Lúcia, mais conhecido por “Morro do Papagaio”, localizado na região centro-sul de Belo Horizonte, capital mineira. A comunidade se organiza e se mobiliza desenvolvendo inúmeras ações sociais, dentre elas: pintar casas, limpar espaços onde o entulho acumula, e construir jardins em vielas com o objetivo de respeitar o meio ambiente e melhorar a qualidade de vida dos mesmos. Favela Bela é o nome que os moradores deram para o conjunto de pequenas efetivas ações pensando em seu sentido mais amplo: não é só o projeto em si, mas também o envolvimento da comunidade em melhorar o paisagismo para todos. Os moradores falam das dificuldades cotidianas em se inserir no mercado de trabalho aliada a espontaneidade do repórter que brinca no improviso.Vale ressaltar que as matérias dirigidas, produzidas, editadas e reportadas pelo raper e jornalista Fábio Féter são imprevisíveis, já que o mesmo realiza reportagens com conteúdo improvisado, ou seja, não enrijecidas por um roteiro previamente elaborado. Inclusive as passagens comuns de Féter, como as feitas em rimas, marca autoral e do estilo musical que permeiam as reportagens – o rap –, surgem de instante e improviso.


  1. Caminhada da paz

São Paulo, 2008, 3’16’’, rap-reportagem

Direção: Fabio Féter

Em 1999, depois do brutal assassinato da estudante Leonarda, a comunidade da maior favela do Brasil – Heliópolis em São Paulo criou a Caminhada pela Paz que acontece todo ano e já está em sua décima edição, com participação do grupo de rap local “O Coletivo”, que rima em conjunto do repórter raper Fabio Féter que mostra a caminhada propositiva na comunidade.


  1. Multirão Toledana

São Paulo, 2008, 3’23’’, rap-reportagem

Direção: Fabio Féter

O jornalista rap-repórter Fabio Féter visitou o Mutirão da Limpeza organizado por entidades sociais e a comunidade do Nùcleo Toledana situada na cidade de Santo André – ABC Paulista e mostrou a situação do bairro e ainda ações pontuais realizadas no mutirão que procurou despertar a comunidade para questões de interesse da própria.Vale ressaltar que as matérias dirigidas, produzidas, editadas e reportadas pelo raper e jornalista Fábio Féter são imprevisíveis, já que o mesmo realiza reportagens com conteúdo improvisado, ou seja, não enrijecidas por um roteiro previamente elaborado. Inclusive as passagens comuns de Féter, como as feitas em rimas, marca autoral e do estilo musical que permeiam as reportagens – o rap –, surgem de instante e improviso.


  1. Quarteirão do Soul

Belo Horizonte/São Paulo, 2009, 3’04’’, rap-reportagem

Direção: Fabio Féter

Trata-se do tradicional movimento espontâneo “Quarteirão do Soul” que acontece no centro de Belo Horizonte aos sábados no período da tarde; proporciona gratuitamente muita música soul e funk no meio da rua. É só chegar!

Essa matéria foi desenvolvida em parceria de participantes da oficina de rap-reportagem ministrada por Fabio Féter e realizada pela entidade Favela é Isso aí;


  1. Rap Embaixo do Viaduto

Belo Horizonte/São Paulo, 2009, 3’20’’, rap-reportagem

Direção: Fabio Féter

O jornalista rap-repórter Fábio Féter vai a Belo Horizonte reportar a mobilização do Movimento Hip-Hop na capital mineira. A articulação em torno do espaço físico ocioso do viaduto Santa Tereza, no centro da cidade, chama a atenção por ter surgido de forma espontânea pelo interesse das pessoas pelo hip-hop. Hoje, o espaço agrega várias tribos de jovens de diversas classes sociais. Todas sextas-feiras à noite, o evento também conhecido “Duelo de MCs” acontece embaixo do viaduto organizado e idealizado pelo movimento informal “Família de Rua”. A disputa em cima do palco na rima improvisada revela uma forma ousada, sadia e bem humorada. O tradicional evento da cidade exercita o respeito mútuo e ainda oportuniza o trabalho de novos grupos artísticos que compõem os quatro elementos do Hip-Hop: grafite (a pintura), break (a dança), o DJ (quem comanda o aparato musical) e o mc ou raper (quem manda o recado). Artistas de tendências artísticas distintas também não passam despercebidas nos toca-discos.

A partir da conquista do espaço, os organizadores buscam fazer pressão em cima do poder público para viabilizar infra-estrutura adequada para o evento como: banheiros químicos, iluminação adequada, dentre outras.

Vale ressaltar que as matérias dirigidas, produzidas, editadas e reportadas pelo raper e jornalista Fábio Féter são imprevisíveis, já que o mesmo realiza reportagens com conteúdo improvisado, ou seja, não enrijecidas por um roteiro previamente elaborado. Inclusive as passagens comuns de Féter, como as feitas em rimas, marca autoral e do estilo musical que permeiam as reportagens – o rap –, surgem de instante e improviso.


  1. Microfonia no seu radio

Belo Horizonte, 2008, 13’15’’, documentário

Direção: Tomás Amaral e Reinaldo Santana

O vídeo é um registro do programa de rádio “microfonia”, realizado por jovens moradores do aglomerado da serra, através do projeto oficina de mídia do programa fica vivo!, veiculado semanalmente na rádio pé da serra 94,3fm. A idéia do projeto, de iniciativa de uma moradora da comunidade, é possibilitar a apropriação pelos jovens aos meios de comunicação através de atividades de comunicação tendo o apoio de emissoras de rádio atuantes na comunidade. A produção do documentário se deu a partir da participação dos jovens integrantes da oficina mídia em oficinas de vídeo ministradas pelo cineasta tomás amaral no centro cultural vila marçola.


  1. Game Over

Belo Horizonte, 2009, 7’08’’, ficção

Direção: Coletiva - Oficina De vídeo NUC

História de um menino que ao sair de casa com o obejtivo de comprar legumes para a mãe, muda seu destino se metendo em uma roubada, deixando o expectador curioso com desfecho.


  1. 264

Rio de Janeiro, 2008, 11’, Ficção

Direção: dos alunos da Turma 6CP (2008), do curso de audiovisual do Núcleo de Audiovisual do Grupo Nós do Morro

Supervisão: Ana Claudia Okuti

Rapaz observa diariamente a vizinha pela janela e cria paixão obsessiva.


  1. Encontro em Marte

Vitória, 2008, 2’, animação

Direção: Coletiva 30 Alunos de 1º e 2º séries

Um garotinho, que como brincadeira decide construir um foguete. Dentro de sua imaginação ele viaja até Marte, e ao chegar se depara com um E.T. Ambos se assustam e voltam correndo aos braços de suas mães.


  1. Espera Maré

Vitória, 2008, 12’, documentário

Direção: Catadores de caranguejo de Vitória

Os catadores mostram o cotidiano dos trabalhadores que vivem da cata do caranguejo no manguezal de Vitória


  1. Mestre Vitalino e nós no barro

Vitória, 2008, 12’, animação

Direção: Alunos da Rede Municipal de Vitória

Uma homenagem ao Mestre do barro.


  1. Maré: Refúgio da Lua

Salvador, 2009, 11’15’’, documentário

Direção: Raiane Vasconcelos

O vídeo mostra a realidade das Marisqueiras do Subúrbio Ferroviário de Salvador


  1. Sétimo Dia

Salvador, 2008, 3’, ficção

Direção: Coletiva

Todas as crianças têm direito à educação, a brincar e se divertir. Todas mesmo?


  1. Rodando a Moenda

Salvador, 2009, 5’’11’’, documentário

Direção: Sara Oliveira/Liliane Sena


Esse mini documentário mostra um trabalho árduo, que é a produção de farinha de mandioca, trabalho pouco utilizado nas capitais, mas que em alguns interiores é a principal fonte de renda.

  1. 15 minutos de fama

Curitiba, 2008, 15’, ficção

Direção: Bruno Mancuso, Jessica Sato, Vinícius Mazzon

A notícia da visita de uma celebridade em um show de talentos de uma escola mexe com a imaginação dos alunos. Realizado pelos alunos das Oficinas de Cinema e Preparação Vocal do Projeto Minha Vila Filmo Eu.


  1. Como fazer uma pipa

Vila Batuel Cunha/ Rio Tavares/ Florianópolis, 2008, 3’30’’, documentário

Direção: Rita de Cácia Oenning da Silva

Enquanto aprendem a fazer filmes, crianças da Vila Batuel Cunha, comunidade de descendente de africanos em Florianópolis, ensinam como fazer uma pipa.


  1. Projeto Ocas: Saindo das Ruas

São Paulo, 2008, 5’26’’, reportagem

Direção: Clara Vanali

Projeto social que promove a geração de renda por meio da venda de uma revista chamada Ocas – Saindo das Ruas. Uma ONG visa empregar moradores de ruas dando a possibilidade de venderem uma publicação e melhorarem sua vida com o dinheiro arrecadado. No documentário, ex-moradores de rua dão seu depoimento de como suas vidas foram modificadas após serem inseridos nesse projeto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário